subir ao palco
cravar novos pregos na madeira antiga
é uma outra peça que se inicia
uma que falte ou que sobre
em breve saberemos
decorado o texto, a fala é o de menos
você está pronto para o primeiro ensaio
tem vinte e poucos anos
e errar não é errado
as cortinas já estão abertas
sempre estiveram, à sua espera
o próximo passo é um salto
e você percebe que aí está o vão entre
os seus pés e os que ali estão
sentados
discutindo sem abrir a boca sobre o quão
exagerados são seus movimentos de braço
como é capaz de levantar as sobrancelhas sem mover
as orelhas?
ele não deveria estar fazendo teatro
olhe o tamanho dos seus cadarços!
mais tarde virá um tropeço
você sabe que não será acidental
e se fosse, entenderíamos
é só o começo
aprendemos juntos a controlar a respiração
empurrar o abdômen, abrir as costelas
encher o pulmão
não subir os ombros a não ser que não se importe
mas você se importa
pois então
chegou o instante do pulo
o momento de ser ou não ser eis combustão
força na planta do pé
aquecer os tornozelos
agora é a hora de nossa sorte
amei, alguns irão dizer
porém você não prevê:
saltar antes que seja tarde sobre o maior número de cabeças
que alcançar
erguer-se por cima de outros ombros e
certificar-se de que algumas dessas, cabeças
irão rolar.