um poema que falta em novo hamburgo

falta um poema que reboque as paredes subliminares de novo hamburgo
que discuta suas ruas de vocábulos indígenas com maior índice de assalto
e roubo de veículos
um poema que narre as aventuras de fim de semana em novo hamburgo
shopping para os mais novos
shopping para os de meia-idade
corredores de shopping para os aposentados
(primeiro andar apenas)
mesmo em novo hamburgo
shopping para estância velha
shopping para ivoti morro reuter dois irmãos
são leopoldo procura filmes que não passam em são leopoldo
para ver no cinema do shopping
em novo hamburgo

falta um poema que experimente os rancores da queda do calçado
o chão está cheio deles
e não se sabe o que fazer com tantos
vesti-los ou descartá-los
como a vida

um poema que se dedique à chegada do trem a novo hamburgo
e com ele
possibilidades infinitas de não estar
em novo hamburgo
que pergunte a si mesmo e a seus leitores
onde foi parar aquela cidade tão
e que não saiba como completar
memória boiando no ar espesso do município

há detalhes que não precisam constar num poema que fale de novo hamburgo
o fato de cada criança nascer
um parêntese aberto
entre parentes e chapéus apertados
em hospitais que levam o nome de mulheres, por exemplo
isso é um detalhe desnecessário
a um poema que discorra sobre novo hamburgo

ainda falta um poema que viralize em novo hamburgo
que espalhe seus vícios como panfletos
jingles nomes números em outubro
um poema que coloque uma marca no lugar
que escreva junto à placa de boas vindas

estive lá e decidi voltar