entrega

reconheço a distância todos os teus sinais
de fogo. onde há fumaça, há você fumando
onde há imagens, a fotógrafa é você
a modelo, o filme se tivesse
a química o negativo a revelação
seriam você.

os bares que não frequento
as festas, as músicas que só você

os dois caminham sobre pedras que
se acostumaram a encaixar com o
tempo. estátuas de mármore aprendem
o movimento do aplauso, e é ovação
quando vocês atravessam moles
a dureza delas.

as ruas que não frequento
os becos, lugares que só você

imagino vocês sobre pontes inexistentes
mas que, resistentes e sólidas na minha história
conectam pontos a favor e contra, por isso
abandono minha arma aos seus pés
façam o que quiserem com ela
a mim não me resta serventia
ainda que eu tente
com todas as minhas forças
pesar o dedo no gatilho